Notícias

Regras tornam mais transparente a transferência de gerenciamento de planos

A resolução CNPC nº 25 aprovou regras para transferência de gerenciamento de planos de benefícios entre entidades fechadas de previdência complementar. Com a mudança, o plano de benefícios transferido não será alterado, ou seja, manterá as mesmas regras e condições. Além disso, a transferência, obrigatoriamente, abrangerá a totalidade dos participantes e assistidos e a integralidade de seus ativos e passivos.

Clique aqui para continuar lendo.

Funpresp-Exe contrata LUZ Engenharia para estruturar perfis de investimento

Confira a matéria que saiu na Agência Investidor Institucional de 23 de março de 2018.

A Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo (Funpresp-Exe) contratou a LUZ Engenharia Financeira para estruturar o modelo de perfis de investimento aos seus participantes. Em novembro do ano passado, a entidade havia aberto edital para selecionar consultoria técnica para desenvolver o trabalho.

Clique aqui para ler a matéria.

Sistema GIR

O Sistema GIR é uma solução que fornece à Alta Administração de uma empresa sua avaliação de aderência ao GIR - Gerenciamento Integrado de Riscos, considerando as características de negócio e as exigências regulatórias.

Entre essas exigências está o RAS - Apetite ao Risco, que representa os tipos e os níveis de risco que uma organização deseja assumir para atingir seus objetivos estratégicos.

Se você tem o MITRA - sistema financeiro front to back da LUZ - o Sistema GIR pode utilizar seus dados para gerar o RAS, isso diminui o trabalho e o risco operacional. Porém se você não tem o MITRA, o Sistema GIR permite que você utilize dados de suas fontes gerenciais ou originadas de seus sistemas legados.

Clique aqui para ver o infográfico do Sistema GIR.

Assista ao vídeo e conheça o Sistema GIR

Planos de aposentadoria: marcação na curva ou a mercado?

Leia o artigo escrito por Edson Jardim, Diretor de Previdência da LUZ Soluções Financeiras.

A discussão sobre a marcação de ativos financeiros praticamente se restringe ao Brasil. Em outros países em que os programas de aposentadoria são promovidos com abordagens e ambientes regulatórios semelhantes, não há o que se falar sobre marcação na curva, mesmo para os planos de benefício definido.

Clique aqui para ler o artigo completo.